quinta-feira, 11 de março de 2010

O Teu não

Por José Fernandes P. Júnior*


“Seja esta a minha última palavra: Confio em Seu amor.”
Tagore



Teu formão desce sobre as imperfeições de minha alma sozinha;
“Por quem os sinos dobram?”
O Teu não é um terrível trovão
na tempestade tenebrosa.
Quem bate à porta?
Ninguém.
O Teu não é um silêncio assustador.
Quem está no barco?
Ninguém.
O Teu não é o abandono no Getsêmani.
Quem caminha agora em Emaus?
Ninguém.
O Teu não é o cálice amargo que deve ser tomado;
O Teu não é o melhor que é incompreendido;
O Teu não é a graça que basta;
O Teu não...




Imagem: http://meusebastian.blogspot.com/2007_09_01_archive.html
________________________________________________________


* Professor de Filosofia na rede pública do DF; Bacharelando em Direito e autor de vários artigos nas áreas da Filosofia e do Direito

2 comentários:

Valdecy Alves disse...

Sem dúvida que a blogosfera é o grande espaço para divulgação do pensamento moderno. Seja o conhecimento necessário à sabedoria, seja o conhecimento necessário à construção da justiça social.... Assim, além de parabenizar pelo blog, convido para ler artigo no meu blog sobre os 10 municípios que pagam os 10 piores pisos no Estado do Ceará, abaixo do salário mínimo: www.valdecyalves.blogspot.com

Victoria Santana Do Nascimento disse...

Esse texto trata a respeito de que as pessoas as vezes querem dizer que estão sofrendo mas pra elas melhorarem ele mostram que sempre tem uma pessoa pior do que ele como é o caso do trovão no texto o da outra pessoa esta mais forte do a minha no caso.

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin